Competitiva Nacional

MEU SANGUE É VERMELHO

Graciela Guarani, Thiago Dezan

2020, 86’’
  • Competitiva Nacional
    14 - 15 Nov (20h)
Documentário musical, acompanha Werá, jovem rapper indígena que tenta entender a violência contra seu povo. Suas letras expressam raiva e tristeza, confrontadas pelo genocídio, tolerado pelo Estado, dos indígenas sem privilégios do Brasil. Ele é adotado pelo rapper Criolo e aconselhado por Sonia Guajajara, líder indígena.

sobre a diretora Graciela Guarani

Pertencente à nação Guarani Kaiowá, produtora cultural, comunicadora, cineasta, curadora de cinema e professora. Uma das mulheres indígenas pioneiras em produções originais audiovisuais. Professora do curso Mulheres Indígenas e Novas Mídias Sociais -  da Invisibilidade ao Acesso aos Direitos (ONU Mulheres Brasil). Facilitadora da oficina Ocupar a Tela: Mulheres, Terra e Movimento (IMS e Museu do Índio, 2019). Debatedora da mesa-redonda Mulheres na Mídia e no Cinema, na 70ª Berlinale (2020).

FILMOGRAFIA [2020] Meu Sangue É Vermelho [2019] Nossa Alma não Tem Cor [2019] Opará [2019] Mba`eicha Nhande Rekova`erã - Mensageiro do Futuro [2018] Tempo Circular [2016] Mãos de Barro


Filme: MEU SANGUE É VERMELHO



sobre a diretora Thiago Dezan

Cuiabano, passou dez anos viajando pelo Brasil e América Latina como membro da rede Fora do Eixo, criando projetos para empoderar coletivos através de plataformas de comunicação. Em 2013, foi um dos fundadores da Mídia NINJA. Fez fotos e vídeos para veículos como Al Jazeera English, The Guardian e The New York Times.


FILMOGRAFIA [2020] My Blood Is Red - Meu Sangue É Vermelho 


Filme: MEU SANGUE É VERMELHO



TRAILER   ASSISTIR

país

Brasil

classificação

Livre

roteiro

coletivo

direção de fotografia

coletiva

montagem

Carly Bryant

trilha sonora

Werá Jeguaka Mirin, Mawaca, Mr. Bomba, André Adipo

produtor

Brian Mitchell

produção executiva

Needs Must Film

elenco

Criolo, Sonia Guajajara, Vincent Carelli, Werá Jeguaka Mirim

contato

graci.poty@gmail.com